Cuidando do Processamento Auditivo Central

1. Apresentação, definições e proposta.

     Desenvolvido a partir de descobertas recentes no ramo das ciências da audição, o Projeto Cuidando do Processamento Auditivo Central constitui uma iniciativa pioneira no sistema educacional brasileiro, cuja proposta centraliza-se na estimulação do Processamento Auditivo Central (PAC) em crianças sob condições de vulnerabilidade do aprendizado auditivo.

   Neste Projeto, crianças de 0 a 8 anos de idade, matriculadas nas Unidades da Rede Municipal de Educação de Gaspar-SC, avaliadas e diagnosticadas como tendo, ou propensas a ter, atraso no desenvolvimento do PAC, participarão de atividades pedagógicas direcionadas à estimulação auditiva.

      Mas o que vem a ser o Processamento Auditivo Central? Clique  e saiba mais.

2. Metodologia

       O Projeto engloba dois métodos de avaliação:

  • Questionário de investigação de fatores de risco. O questionário é direcionado somente a crianças de 6 meses a 1 ano de idade.
  • Análise do efeito de supressão de otoemissões acústicas evocadas por produto de distorção (teste da orelhinha modificado). O teste é direcionado somente a crianças acima de 1 ano de idade.

       A estimulação do Processamento Auditivo Central será desenvolvida por professores/educadores capacitados pelo Projeto, os quais realizarão atividades pedagógicas em campo livre voltadas ao desenvolvimento de habilidades auditivas diversas, tais como, localização da fonte sonora, discriminação sonora, figura-fundo, fechamento, atenção e memória auditivas. 

   Vale ressaltar que a participação de cada criança no Projeto foi realizada mediante consentimento assinado dos pais/responsáveis e dos diretores das Unidades da Rede Pública Municipal de Educação de Gaspar-SC.

3. Colaboração

    Este Projeto é realizado em colaboração com o Serviço de Atenção à Saúde Auditiva da Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI, que prestará serviço diagnóstico aos casos que apresentarem fatores de risco para deficiência auditiva (conforme preconizado pela ASHA) e aos casos que falharem no exame de otoemissões acústicas evocadas por produtos de distorção.


Responsáveis pelo Projeto

                           Anderson E. dos Santos                       Silvia Raquel Schreiber Boniati

                      Fonoaudiólogo do SEFOPPE                     Coord. da Educação Especial

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s